Qual a diferença entre FIV e inseminação artificial?

Compartilhe nas redes sociais

Se você está considerando métodos de reprodução assistida, uma possível dúvida é a diferença entre FIV e inseminação artificial. É importante levar em consideração, portanto, que embora ambos possam auxiliar na gravidez, são técnicas distintas, isto é, com características e taxas de sucesso diferentes.

Neste cenário, nós do time Barralife preparamos um artigo para acabar de vez com todas as suas dúvidas sobre a diferença entre FIV e inseminação artificial. Sendo assim, acompanhe e fique por dentro de tudo sobre o assunto!

O que é inseminação artificial?

A inseminação artificial consiste na introdução de espermatozoides no útero da mulher, próximo ao período fértil, com o objetivo de aumentar as chances de fecundação. O procedimento pode ser realizado de duas maneiras:

  • Inseminação Intrauterina (IIU): os espermatozoides são coletados do homem e, após preparo em laboratório, depositados diretamente no útero da mulher por um cateter fino. Vale destacar que trata-se de um procedimento rápido e simples, que o paciente realiza no próprio consultório médico.
  • Inseminação Intracervical (IIC): os espermatozoides são depositados no colo do útero da mulher, próximo à entrada do útero. Essa técnica também é simples e rápida, podendo ser realizada em casa com a ajuda de um aplicador especial.

Indica-se a inseminação artificial para casos como:

  • Problemas de fertilidade masculina – Quando o parceiro tem baixa contagem de espermatozoides ou problemas de mobilidade dos espermatozoides.
  • Endometriose leve – essa pode ser uma opção antes de métodos mais invasivos.
  • Casais homoafetivos: A IIU oferece a oportunidade para casais do mesmo sexo ou mulheres solteiras realizarem o sonho da maternidade.
  • Trompas de falópio com obstrução parcial
  • Dificuldade de ovulação.

O que é FIV?

A Fertilização in Vitro (FIV) é um procedimento mais complexo que a inseminação artificial. Ela envolve, portanto, a coleta de óvulos da mulher e espermatozoides do homem, que são então fecundados em laboratório.

Existem duas técnicas principais de FIV:

  • FIV clássica: coloca-se os óvulos e os espermatozoides juntos em um meio de cultura e a fecundação ocorre naturalmente.
  • Injeção Intracitoplasmática de Espermatozóide (ICSI): há a injeção de um único espermatozoide diretamente no citoplasma do óvulo.

Após a fecundação, há o cultivo dos embriões em laboratório por alguns dias. Posteriormente, há a transferência dos embriões com melhor potencial de desenvolvimento para o útero da mulher.

Indica-se, portanto, a realização da Fertilização in Vitro para casos como:

  • Problemas de fertilidade masculina graves
  • Endometriose grave – em estágios mais avançados de endometriose, quando a inseminação artificial pode não ser suficiente.
  • Problemas tubários – mulheres com bloqueio ou danos nas trompas podem recorrer à FIV para conceber.
  • Infertilidade sem causa aparente – quando os médicos não conseguem identificar a causa da infertilidade após investigações.
  • Falha em tentativas de inseminação artificial.
  • Idade materna avançada.
  • Doenças genéticas.

Afinal, qual é a diferença entre FIV e inseminação artificial?

Como vimos acima, os procedimentos, embora tenham um mesmo objetivo, possuem variações e indicações específicas. Desse modo, para melhor análise e visualização, preparamos um quadro para entender a diferença entre FIV e inseminação artificial: 

AspectoFIVInseminação Artificial
Local da fecundaçãoLaboratórioCorpo da mulher (trompas de Falópio)
Complexidade do procedimentoMais complexoMais simples
CustoMais elevadoMenor
Taxas de sucessoMaioresMenores
IndicaçõesCasos mais complexos de infertilidadeCasos mais simples de infertilidade

No que se refere à diferença entre FIV e inseminação artificial, vale destacar também que o primeiro necessita da punção folicular para coleta dos óvulos, sendo este um procedimento minimamente invasivo, guiado por ultrassom e com realização sob sedação leve.

A inseminação artificial, por sua vez, não necessita de cirurgia. Como foi dito anteriormente, o procedimento é ambulatorial e rápido. O paciente, portanto, pode realizá-lo em um consultório médico, de forma mais simples.

Qual desses métodos devo escolher?

A escolha entre FIV e inseminação artificial depende de diversos fatores, como:

  • Causa da infertilidade;
  • Idade da mulher;
  • Expectativas do casal;
  • Recursos financeiros;
  • Entre outros.

Em todos os casos, deve-se tomar a decisão em conjunto com um médico especialista em reprodução assistida. Sendo assim, ele poderá avaliar as características do casal ou indivíduo e indicar a técnica mais adequada para cada caso.

Consulte um especialista e entenda qual é o método mais adequado para você!

Por fim, esperamos que este artigo tenha esclarecido a diferença entre a FIV e a inseminação artificial. Vale destacar que, seja através da Inseminação artificial ou da Fertilização in Vitro, ambas oferecem esperança e oportunidades para aqueles que desejam formar uma família. 

Desse modo, com o avanço da tecnologia e a experiência dos profissionais médicos, o caminho para a paternidade e maternidade está mais acessível do que nunca. 

Para ajudá-lo nesse processo, o centro médico Barralife Medical Center possui uma estrutura completa e profissionais de saúde que poderão fornecer o suporte adequado em todo o processo. Temos clínicas parceiras, como a Pro Nascer, especializadas em medicina reprodutiva. Para mais informações sobre saúde reprodutiva e tratamentos de fertilidade, continue acompanhando nosso blog!

Categorias

Publicações relacionadas

Pressão Arterial: Mistérios sobre a hipertensão

Alívio do Estresse: Conheça as técnicas de alivio

Compartilhe esse espaço

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
Twitter
Telegram
Email