As doenças que a gengivite acarreta

Compartilhe nas redes sociais

A gengivite, caracterizada pela inflamação das gengivas, é uma condição comum, porém, muitas vezes subestimada, que afeta a saúde bucal de milhões de pessoas em todo o mundo. 

Embora seja reversível, pode ser a porta de entrada para doenças graves que impactam não apenas a saúde bucal, mas também a saúde geral do indivíduo.

Nesse cenário, nós do time Barralife Medical Center, preparamos um artigo com tudo que você precisa saber sobre a gengivite e as possíveis consequências dessa condição. Acompanhe a leitura e saiba mais: 

As principais causas da gengivite

A principal causa da gengivite é a placa bacteriana, uma película pegajosa e incolor que se acumula nos dentes quando não higienizados corretamente. Essa placa contém bactérias que irritam as gengivas. Sendo assim, entre os fatores que contribuem para o acúmulo de placa bacteriana estão: 

  • Má higiene bucal: Escovação inadequada ou pouco frequente e uso irregular do fio dental facilitam a formação da placa.
  • Dieta inadequada: o consumo excessivo de alimentos ricos em açúcares e carboidratos aumenta a proliferação de bactérias na boca.
  • Boca seca: a saliva ajuda a remover a placa bacteriana e proteger as gengivas. A xerostomia, nome também chamado de boca seca, pode reduzir a produção de saliva e aumentar o risco de gengivite.
  • Tabagismo: o cigarro prejudica a circulação sanguínea nas gengivas, dificultando a cicatrização e aumentando a suscetibilidade à inflamação.
  • Doenças sistêmicas: diabetes, doenças cardíacas e outras condições crônicas podem aumentar o risco de gengivite.
  • Fatores genéticos: algumas pessoas têm maior predisposição à gengivite devido à genética.

Quais são os sintomas da gengivite?

A gengivite pode apresentar alguns sintomas específicos no paciente, entre os quais estão: 

  • Sangramento: gengivas que sangram ao escovar ou usar fio dental são um dos principais sinais de alerta para essa condição. 
  • Vermelhidão e inchaço: gengivas vermelhas e inchadas indicam inflamação.
  • Retração gengival: a gengiva se afasta do dente, expondo a raiz e podendo causar sensibilidade.
  • Mau hálito: a placa bacteriana acumulada nas gengivas inflamadas contribui para o mau hálito persistente.
  • Pus: em casos mais graves, a gengiva pode apresentar pus, indicando uma infecção.

Atenção! Se você estiver apresentando os sintomas descritos acima, consulte um profissional de odontologia o mais rápido possível. O tratamento precoce é essencial para reverter a doença e prevenir complicações mais graves.

Quais doenças a gengivite pode acarretar? 

E então, quais doenças a gengivite pode desencadear? Veja a seguir:

1. Periodontite

A gengivite não tratada pode progredir para uma condição mais grave conhecida como periodontite. Nesse estágio, a infecção se espalha para as estruturas de suporte dos dentes, incluindo os ligamentos e os ossos. Isso pode levar à perda óssea e à eventual perda dos dentes afetados.

2. Doenças cardiovasculares

Estudos têm mostrado uma forte ligação entre a saúde bucal e doenças cardiovasculares. Isso porque, as bactérias presentes na gengivite podem entrar na corrente sanguínea, causando inflamação em outras partes do corpo. Por consequência, pode haver maior risco de doenças cardíacas, como aterosclerose e até mesmo ataques cardíacos.

3. Diabetes

Pessoas com diabetes enfrentam um risco ainda maior de desenvolver gengivite e outras doenças periodontais. Além disso, a gengivite pode tornar o controle do açúcar no sangue mais difícil, criando um ciclo prejudicial em que a diabetes piora a saúde bucal, e vice-versa. Cuide-se! 

4. Complicações na gestação 

A gengivite não tratada em gestantes tem sido associada a complicações como parto prematuro e bebês de baixo peso ao nascer. Isso acontece porque a inflamação crônica pode desencadear respostas no corpo que afetam o desenvolvimento do feto. Por isso, destacamos ainda mais a importância do cuidado com a saúde bucal durante a gravidez.

5. Doenças respiratórias

As bactérias presentes na gengivite podem ser inaladas e chegar aos pulmões, aumentando o risco de infecções respiratórias, como pneumonia. Isso é especialmente preocupante para pessoas idosas ou com sistemas imunológicos comprometidos.

Como ocorre a prevenção e tratamento da gengivite?

Felizmente, a gengivite pode ser prevenida a partir de hábitos de manutenção da higiene bucal, como por exemplo escovar os dentes duas vezes ao dia por dois minutos, usar fio dental diariamente e visitar o dentista regularmente.

Se, porém, o paciente já tiver sido diagnosticado com essa condição, existem algumas opções de tratamento, como por exemplo: 

  • Limpeza profissional: Raspagem e alisamento radicular para remover placa bacteriana e tártaro.
  • Cirurgias gengivais: Em casos mais graves, podem ser necessárias para corrigir danos causados pela periodontite.

Em todos os casos, é importante manter visitas regulares ao dentista, a fim de receber uma avaliação especializada. 

Previna-se! Cuide da sua saúde bucal. 

Por fim, o objetivo deste artigo é sanar as principais dúvidas sobre a gengivite e mostrar que, embora seja uma condição comum, se não tratada, pode desencadear uma série de doenças. Afinal, as consequências da gengivite podem ser desde a perda dentária até complicações cardiovasculares. 

Por isso, tenha em mente que a gengivite não é apenas um problema estético, mas um risco para a saúde geral. Sendo assim, é fundamental adotar medidas preventivas para evitar o desenvolvimento e a progressão dessa condição. 

Na Barralife Medical Center, contamos com uma estrutura completa e parceiros altamente experientes e qualificados, que podem auxiliar desde a prevenção até o tratamento de gengivite, como por exemplo a Clínica Dra. Anna Carolina Ledo. Caso você esteja com algum dos sintomas, não deixe de agendar uma consulta para avaliação e orientação personalizada.

Quer receber mais dicas e informações sobre saúde? Fique atento ao nosso blog!

Categorias

Publicações relacionadas

Pressão Arterial: Mistérios sobre a hipertensão

Alívio do Estresse: Conheça as técnicas de alivio

Compartilhe esse espaço

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
Twitter
Telegram
Email