A verdade sobre a reposição hormonal 

Compartilhe nas redes sociais

A reposição hormonal é uma alternativa muito utilizada pelas mulheres no período de menopausa. Isso porque, essa fase marca o fim da menstruação e traz consigo uma série de mudanças hormonais e por meio desse tratamento, é possível aliviar os incômodos desse período. 

No entanto, esse tema ainda desperta muitas dúvidas e preocupações. Mas, afinal, o que é verdade e o que são mitos sobre esse procedimento? Neste artigo, nós do time Barralife trouxemos algumas questões que você precisa saber sobre a reposição hormonal. Vamos lá?

O que é a reposição hormonal?

Em primeiro lugar, é preciso levar em consideração o que é a reposição hormonal. Em poucas palavras, trata-se de um tratamento médico que tem como objetivo repor os hormônios que o corpo de uma pessoa deixa de produzir em quantidades adequadas.  

Através da administração de hormônios sintéticos ou bioidênticos, a TRH ajuda a restaurar o equilíbrio hormonal do corpo, proporcionando diversos benefícios para a saúde e o bem-estar do indivíduo. 

Quais são as indicações?

É importante destacar que essa também pode ser uma indicação em outras situações que não sejam necessariamente a menopausa, como por exemplo:

  • Insuficiência ovariana prematura, isto é, quando os ovários param de funcionar antes dos 40 anos;
  • Tratamento do câncer de mama, para reduzir o risco de recorrência;
  • Prevenção da osteoporose em mulheres com alto risco de fraturas ósseas.

Vale destacar que essa não é uma indicação apenas para as mulheres, posto que também pode ser um tratamento para homens, que podem necessitar do tratamento durante o processo de envelhecimento. 

Benefícios da reposição hormonal nas mulheres

Esse tratamento oferece diversos benefícios para a saúde da mulher, incluindo:

  • Alívio dos sintomas da menopausa: ondas de calor, suores noturnos, secura vaginal, alterações de humor, insônia, perda óssea e osteoporose;
  • Melhora da saúde cardiovascular: redução do risco de doenças cardíacas e AVC;
  • Fortalecimento dos ossos: prevenção da osteoporose e fraturas ósseas;
  • Manutenção da saúde mental: melhora do humor, da memória e da concentração;
  • Aumento da libido: melhora da vida sexual;
  • Redução do risco de alguns tipos de câncer: como o câncer de cólon.

Quais são os principais mitos e verdades sobre a reposição hormonal?

Existem alguns mitos muito comuns sobre essa terapia. Separamos os principais a seguir: 

“A reposição hormonal engorda.”

É mito! O ganho de peso durante a menopausa está mais relacionado ao estilo de vida e alterações metabólicas do que à reposição hormonal em si.

“A reposição dos hormônios causa câncer.”

Mito! Estudos recentes demonstram que a reposição hormonal, quando realizada de forma adequada e com acompanhamento médico, não aumenta o risco de câncer de mama.

“Só quem pode fazer são mulheres mais velhas.”

Também é um mito! Mulheres em diferentes fases da vida podem se beneficiar dessa terapia, inclusive jovens com menopausa precoce ou cirurgias nos ovários.

“A reposição hormonal é sempre necessária.”

Outra pergunta muito comum é: “todo mundo vai precisar fazer reposição hormonal?”. A resposta é não! É mito, pois nem todas as pessoas precisam desse tratamento. A avaliação deve ser individual e deve basear-se nas necessidades específicas de cada paciente, após avaliação médica.

A reposição dos hormônios alivia os sintomas da menopausa

Verdade! Alguns sintomas, como ondas de calor, secura vaginal, insônia e alterações de humor, podem ser amenizados com esse tratamento.

“A reposição hormonal previne doenças.”

É verdade! Estudos comprovam que a reposição hormonal pode reduzir o risco de osteoporose, doenças cardíacas e até mesmo Alzheimer. 

Tipos de reposição hormonal 

Existem diferentes formas de realizar a reposição hormonal, cada uma com suas vantagens e desvantagens. As opções mais comuns incluem:

  • Terapia oral: comprimidos ou cápsulas que contêm estrogênio e/ou progesterona;
  • Terapia transdérmica: adesivos ou gel que liberam os hormônios pela pele;
  • Terapia vaginal: supositórios ou cremes que aplicados na vagina liberam os hormônios localmente;
  • Terapia intramuscular: injeções de estrogênio e/ou progesterona;
  • Terapia subcutânea: implantes que liberam os hormônios lentamente ao longo do tempo.

Existem riscos e contraindicações para a reposição dos hormônios?

Como qualquer tratamento médico, a reposição hormonal apresenta alguns riscos e contraindicações. Por isso, é importante conversar com um médico para avaliar se essa alternativa é adequada para você e discutir os possíveis riscos e benefícios.

Consulte um especialista!

Por fim, podemos concluir que a reposição hormonal pode ser uma opção segura e repleta de benefícios para pessoas que enfrentam problemas relacionados aos hormônios. 

No entanto, é essencial consultar um médico especialista para que essa decisão seja tomada com cautela. Na Barralife Medical Center, contamos com médicos e clínicas parceiras e especializadas em Endocrinologia e Ginecologia, como por exemplo a Clínica Márcia Helena Costa, que podem fornecer o suporte necessário para quem deseja iniciar o tratamento. Acompanhe nosso site e blog e encontre os melhores profissionais para cuidar da sua saúde!

Categorias

Publicações relacionadas

Por que dormir bem é tão importante?

Por que a rinite ataca no outono?

Compartilhe esse espaço

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
Twitter
Telegram
Email